Faça a coisa certa

Postado em

Se você precisa de anti-depressivos prescritos por um psiquiatra que diagnosticou que você tem algum distúrbio químico-neurológico, a minha sugestão é que você os tome. Caso haja algum desconforto, siga o bom senso e fale com quem lhe receitou o remédio.

Escrevo isso por dois motivos:

1) há alguns anos atrás, tive a oportunidade de conviver por curto período de tempo com alguém que fazia uso de mais de uma medicação. Eram anti-depressivos, ansiolíticos, mais moderadores de humor…e por aí a coisa andava. Ao todo eram seis medicamentos diários. Obviamente não se pode dizer que essa pessoa tinha um “funcionamento normal” (fica a pergunta: o que é normal mesmo?), mas estava terminando a faculdade, administrava a própria vida…embora com um pouco de atenção se percebesse que havia algo de diferente ali.

2) recentmente ouvi o caso de um rapaz que parou de tomar seus anti-depressivos com o aval da namorada! Ele não queria engordar, por isso mesmo deixou a medicação de lado. Na verdade o que acontece quando se toma alguns tipos de medicamento é que a pessoa incha – mas isso é bem diferente de engordar, né?

O que me assusta na situação nº 2 é que há o aval da namorada. Ou seja: ela prefere o namorado desajustado e com o corpinho em dia do que o cara saudável mas inchado. Sei lá, de repente o tratamento não vai ser pro resto da vida, de modo que essa seja apenas uma fase.

Mas não, as pessoas não pensam assim. Elas só se focam na aparência, no transitório. Dá pra notar pelo tom do texto um certo grau de indignação, mas é que eu vejo as pessoas mais e mais infelizes sem ao menos se darem conta de que o fato de elas focarem sua atenção apenas na conseqüência e não na causa é o que torna suas vidas infelizes.

Só pra constar, o cara da situação nº 1, se encanava com o fato de estar inchado sim – mas fazia sua academia (porque exercício também faz bem pra depressão, né?) e tentava se alimentar direito. Como não havia nada que ele pudesse fazer em relação ao resto, ele nem esquentava a cabeça.

Na minha opinião, uma abordagem bem mais saudável da situação, não?

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s